Home office é regulamentado pelo governo

No decorrer dos últimos anos, pudemos acompanhar a transformação dos sistemas de trabalho, onde os profissionais passaram a exercer suas atividades remotamente e não mais necessariamente presentes nas empresas. Hoje, porém, fala-se em um termo que vai muito além dessas formas já conhecidas, o sistema híbrido de trabalho.

O cidadão como réu no STF num processo que não existe

Imagine-se na seguinte situação. Numa bela manhã você acorda com alguém à sua porta (um oficial de justiça ou ao Policia Federal, sabe-se lá…) entregando-lhe uma intimação, uma notificação, um comunicado (escolha um nome) dizendo que você foi multado por usar o Telegram, você contrariou a decisão do Ministro Alexandre conforme o inquérito número tal (o qual você nunca soube que existia), e a coisa já estaria na casa dos milhões de reais (já que a multa é diária e você usou o aplicativo por alguns dias). Assustado você procura seu advogado para saber se isso é real ou não. O advogado olha, examina, vira e revira o papel, e responde: ‘’a coisa não é nada boa’’.

Telegram bloqueia 64 grupos na Alemanha por antissemitismo e incitação ao ódio entre os usuários

Em matéria publicada, em dezembro de 2021, falamos a respeito das ações desenvolvidas pelo Ministério da Alemanha contra o Telegram, devido ao “discurso de ódio” presente em meio aos chats do mensageiro. Se esse seria o motivo para seu banimento, o app acaba de vir a público, apresentando uma solução e deixando claro, mais uma vez, seu posicionamento.

Por que países como Alemanha, China, Irã e Brasil insistem em planejar ações contra o Telegram?

E mais uma vez o Telegram aparece como alvo de medidas que visam ditar o que deve ou não ser compartilhado através do app. Porém, o motivo da ação não está ligado às “fake news”, como aconteceu recentemente com o Supremo Tribunal Federal, no Brasil. Veja a matéria completa aqui. O que está em jogo, agora, na Alemanha, é o “discurso de ódio” em meio aos chats do mensageiro.