Cibercriminosos utilizam ChatGPT no desenvolvimento de softwares maliciosos

O potencial por trás do ChatGPT vem despertando a atenção, não apenas de quem deseja utilizá-lo como apoio à elaboração de conteúdos em texto, mas também, de cibercriminosos, que enxergam na ferramenta uma forma promissora de tornar golpes mais eficientes.

É o que afirma relatório feito por pesquisadores do laboratório de segurança da informação Check Point, com informações divulgadas em matéria da forbes.

Inteligência artificial a serviço do cibercrime

Através da tecnologia presente no ChatGPT, ferramenta desenvolvida pela OpenAI, que envolve o uso da inteligência artificial, os cibercriminosos são capazes de construir novos malwares e chatbots, utilizados por exemplo, para simular mulheres jovens nas conversas, atraindo pessoas para golpes.

A IA poderia também codificar um software malicioso que permite espionar as teclas digitadas pelos usuários, roubar arquivos de interesse e compartilhá-los na internet.

De acordo com informações encontradas pelos pesquisadores, em fóruns criminosos clandestinos, um código Python, compartilhado por um usuário poderia ser utilizado para o bem ou para o mal, criptografando a máquina de outras pessoas remotamente.

Como podemos observar, a IA presente no ChatGPT, como qualquer outra tecnologia, é capaz de nos surpreender, podendo ser utilizada de forma positiva ou negativa, conforme as intenções de seus usuários.

Para ficar por dentro de notícias como essa, acompanhe o digisac.blog e nossas mídias sociais!!

Facebook: @Digisac

Instagram: @digi.sac

TikTok: @digisac

YouTube: Digisac Plataforma Multicanal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s