E-commerce e segurança digital: Como consumidores e organizações podem se proteger contra tentativas de fraudes

A adoção de medidas que proporcionam maior segurança digital está sendo cada vez mais necessária, à medida que pessoas e organizações se tornam mais conectadas e atuantes no cenário das tecnologias. O que os dados de pesquisas podem nos mostrar?

De acordo com estudo realizado pela companhia de segurança digital ClearSale, as tentativas de fraude em transações chegaram a R$ 5,8 bilhões, em 2021, um aumento de 58% em relação ao ano anterior. Esse fato é devido, entre outros motivos, ao crescimento do e-commerce.

Se você acredita que o conhecimento desses dados é importante apenas para quem possui um negócio de vendas online, está enganado!! Todo tipo de organização deve estar atenta às questões de segurança digital. Afinal, quem não possui, nos dias de hoje, um site na internet, oferece formas de pagamento online ou se comunica através de apps mensageiros?

Tentativas de fraudes em e-commerce crescem no Brasil

O estudo aponta que a categoria de produtos mais fraudada foi de celulares, em que aproximadamente 6% das compras estiveram relacionadas à tentativa de crime digital. Na sequência estão os produtos eletrônicos e depois, os automotivos.

Para Marcelo Queiroz, head de Estratégia de Mercado da ClearSale, “o aparelho celular oferece grande liquidez no mercado secundário, podendo ser facilmente revendido para gerar lucro rápido, além de serem fáceis de transportar. Por isso ele costuma liderar a lista de produtos com mais tentativas de fraude”.

O fato do celular ser a categoria de produto mais fraudado também nos remete aos crimes praticados pelos cibercriminosos, através de apps mensageiros e financeiros, por exemplo, presentes nos dispositivos. Quantas notícias não vemos sobre golpes envolvendo o WhatsApp e o Pix, não é mesmo?

Segundo o estudo feito pela ClearSale que também analisou 35 milhões de transações no mercado financeiro relativas a bancos, financeiras, fintechs e administradoras de cartões de crédito, mais de 1 milhão corresponderam a tentativas de fraudes, em abertura de contas, emissão de cartões, Pix, empréstimo pessoal e CDC (Crédito Direto ao Consumidor) por meios digitais.

Como se proteger ao realizar uma compra online?

Para evitar fraudes durante a realização de compras, via e-commerce, o estudo sugere:

  • Desconfiar de qualquer link desconhecido. Não abrir e-mails suspeitos, links do WhatsApp ou recebidos por SMS.
  • Ter cuidados com as senhas, utilizando em sua composição caracteres especiais que as tornam mais fortes.
  • Atenção às promoções e práticas de phishing. Queiroz afirma que “para realizá-lo, fraudadores costumam forjar links para oferecer produtos e serviços a preços muito baixos. A dica: se realmente preciso do item no link em questão, vá até a página da loja e compre por lá. Isso evita que você caia em páginas falsas, pague pelo produto e nunca receba”.

Consumidores e organizações precisam estar atentos à segurança digital, não apenas no e-commerce, mas também em outras atividades realizadas através do meio digital, que só tendem a crescer.

E você? O que faz para se proteger no meio digital? Conta pra gente!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s